Entradas populares

lunes, 1 de abril de 2013

em busca de Alfred Hitchcock

BEM-VINDOS AO APAIXONANTE MUNDO DE LETRAS PRECIOSAS E IMAGENS ENCANTADORAS, SEJAM LEITORES, OBSERVADORES, CRÍTICOS E PALAVRÓFILOS, LEIAM, LEIAM, LEIAM. MESMO QUE UM PROVÉRBIO POPULAR SÉRVIO DIGA QUE "A CABEÇA É MAIS VELHA QUE O LIVRO", ISTO É QUE O PENSAMENTO É MAIS ANTIGO QUE A ESCRITA, LEIAM, ISSO AGUÇA O ESPÍRITO, ENRIQUECE O VOCABULÁRIO E A ALMA, DESPERTA A CURIOSIDADE E FAZ VOS PALAVRÓFILOS CURIOSOS TAMBÉM...
Filme: Hitchcock
Género: Drama
Duração: 98 min.
Cinema: cinema city Classic Alvalade
Realização: Sacha Gervasi
Com: Anthony Hopkins, helen Mirren, Scarlet Johanson
Com a utilização de excelentes técnicas narrativas (do próprio Hitchcock como narrador da história e o seu protagonista), com um profundo conhecimento da obra e do carácter do realizador e a ideia de presentar o lado humano desta célebre figura da cinematografia mundial, o filme baseado no livro "Alfred Hitchcock and the Making of Psycho" apresenta também alguns dos problemas inerentes ao mundo dos famosos: a desconfiança das companhias de produção perante um projecto inovador, as rivalidades entre as grandes e prestigiadas empresas no mundo do cinema,  o rigor da censura e a complexa e ambivalente relação entre o realizador e a sua esposa Alma. Esta relação naturalmente tem os seus altos e baixos, mas torna-se particularmente difícil para ela, porque está sempre na sombra do nome do marido e parece não conseguir revelar a sua própria criatividade e amor pela escrita. Por outro lado, mesmo depois de discussões, confrontos e respostas demasiado frontais, ela é a única que acredita nele, no seu talento e no seu sucesso. Ainda que nunca tivessem assinado juntos a autoria de nenhuma obra, e especialmente não a de Psycho, "Hitch" e Alma mostram que os dois são personalidades fortes, inteligentes, criativos, cada um com a sua vaidade, sentido de humor, dores, medos e preocupações. Desta forma, quando Hitchcock reconhece que o seu pior medo é o encontro com o censor, que lhe custa mais do que a ida ao dentista, o espectador consegue vislumbrar o lado humano do grande realizador. Os seus ciúmes quando a esposa passa horas e horas numa casa na praia dedicando-se à escrita, e por outro lado a sua obsessão pelas actrizes louras revelam um profundo temor de se ser deixado e abandonado, o que torna a sua personagem ainda mais complexa. O ligeiro cinismo e sentido de humor bizarro nas respostas e nalguns comentários são apanas pequenos indicadores do porquê da preferência pelo tipo de filmes e pela forma de encarar a sua realização no caso de Hitchcock. Ultrapassando os limites do esperado, do comum e do "clássico" no cinema até ao aparecimento de "Psycho", Alfred hitchcock mostrou ao mundo que um filme de terror podia não ser banal e superficial e que joga com as esferas mais profundas do íntimo e do emocional nos homens.
A personagem da sua esposa é ao mesmo tempo contraposta e complementar ao realizador, uma verdadeira "alma" gémea, que o defende perante os seus colegas, jura e obriga os outros membros da equipa a jurarem que não iriam divulgar nem revelar os segredos do filme. Envolvendo-o de mistério, desta forma pretendia garantir um sucesso ainda maior da obra do seu marido, participando nele mais "dos bastidores" embora seja indicado que algumas das ideias e sugestões para o desenvolvimento do filme fossem dela.
A excelente escolha de actores, a brilhante realização e a alta qualidade das imagens são apenas algumas das numerosas mais-valias do filme que com certeza absoluta valerá a pena ver.